Notícias

Onde vocês estavas quando importava? – Por que as instituições financeiras Devem apoiar a lei de desmatamento da Europa

No início deste mês, instituições financeiras europeias como Triodos, Storebrand e Cardano ACTIAM assinaram uma carta aberta pedindo que uma proposta de lei sobre produtos livres de desmatamento da UE, também se aplicasse ao setor financeiro. A carta apoia uma proposta modesta sobre finanças, apresentada pelo Parlamento da UE – uma que reconhece que as instituições financeiras têm um papel importante em direcionar os nossos mercados.

Durante anos, as instituições financeiras demonstraram, contínua e repetidamente, apoiar empresas ligadas ao desmatamento e a abusos de direitos humanos. Os dados da coalizão Florestas & Finanças mostram que o financiamento dos setores de risco de desmatamento, está crescendo, não diminuindo. O desmatamento para produzir soja, óleo de palma, carne bovina, madeira e celulose para bens de consumoia e para energ, assim como a carnificação de dietas, são os maiores culpados.

Grande parte do financiamento problemático vai para um pequeno grupo de criminosos, empresas do agronegócio que têm uma reputação notória de ignorar ou incitar danos ambientais e de direitos humanos. As instituições financeiras que estão genuinamente comprometidas em acabar com o desmatamento em seu setor têm muito a ganhar ao garantir que o financiamento não seja excluído de uma nova lei de desmatamento da UE.

A legislação nivelaria o campo de jogo. Isso facilitaria a implementação de suas próprias políticas florestais, climáticas e de biodiversidade e ajudaria a capacitar funcionários ansiosos por construir um sistema financeiro que funcione para o planeta e as pessoas. Isso também começaria a reconstruir a confiança do público – que está cada vez mais preocupado com o fato de os bancos ou fundos de pensão estarem usando suas economias para alimentar a destruição da floresta.

As medidas financeiras propostas pelo Parlamento da UE são modestas – simplesmente exigindo que uma instituição financeira verifique as empresas ou projetos antes de fornecer financiamento, para identificar se eles podem estar ligados ao desmatamento e danos aos direitos humanos relacionados. Se um financiador não puder descartar o risco de desmatamento nas operações de seu cliente em potencial, ele deve adiar o financiamento até que possa. A filosofia por trás das medidas financeiras propostas é simples.

Se a UE está dizendo que as empresas do agronegócio não podem ganhar dinheiro com o desmatamento, os bancos também não deveriam. Como Triodos e outros apontam, deixar de incluir o financiamento também pode levar os bancos e investidores europeus a financiar as próprias atividades e produtos proibidos pela lei.

Atualmente, o Conselho da UE, a Comissão da UE e o Parlamento da UE estão na última etapa das negociações sobre como será a lei final de desmatamento. 1,2 milhão de cidadãos deixaram claro que esperam que as medidas cubram o financiamento, assim como um grande grupo de 78 empresas que operam internacionalmente, variando de produtores de alimentos, varejistas, fabricantes para um porto mundial; o parlamento da UE; Povos Indígenas, pequenos agricultores e grupos da sociedade civil de 39 países; e agora as próprias instituições financeiras.

ASN Bank, ASN Impact Investors, Cardano ACTIAM, GLS Bank, Karner Blue Capital, Merkur, Storebrand Asset Management, Triodos Bank e Triodos Investment Management deixaram claro – eles querem deixar registrado que não têm medo de que seus esforços de desmatamento sejam examinado.

Não é tarde demais para outras instituições financeiras se juntarem a seus pares e adicionarem seus nomes à carta aberta – e há muitas razões pelas quais elas deveriam estar ansiosas para fazê-lo. Mas talvez a principal razão seja que, no futuro, sempre que uma instituição financeira da UE se levantar para anunciar uma nova política de desmatamento, um novo produto de financiamento verde ou assinar uma nova iniciativa, provavelmente será perguntado: Onde você estava quando mais importava e você teve a chance de ajudar a reescrever as regras do jogo?